Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

TERAPIA DAS PALAVRAS...

Viver é aceitar que cada minuto é um milagre que não poderá ser repetido..!

TERAPIA DAS PALAVRAS...

Viver é aceitar que cada minuto é um milagre que não poderá ser repetido..!

Poema Acabado

Calimero, 07.01.20

 

Agora choro baixinho
os ecos de saudade,
o prelúdio dos sonhos
e o verso dos jardins floridos.

É como uma espada
na estação das flores,
em sussurrantes devaneios
num instante feliz de mim.

Este suave infinito em azul
é uma asa cortada em cinzas
uma fuga mística, um suspiro
e um pedido de abrigo!

Dancei na tua meiguice,
e aí vivi no cume da vida
com novas ilusões, o fogo de Amor
em bulícios desvairados…

Nesta melancólica saudade
que irrompe no silêncio,
há um despertar rutilante
em uníssono de amar a vida.

Sonho a minha alma e liberto os meus véus
neste vazio obscuro de mim,
com palavras frágeis e efémeras
mas com a tua música no coração!

Neste cruciante silêncio da alma
fui em busca de inspiração,
em cada palavra transpirada,
neste vestíbulo de Amor e Paixão.

E hoje, o vento que aqui passou
trouxe-me saudades tuas…
dos nossos aturdidos sonhos e fantasias
e das nuvens coloridas…

Como as ondas do mar, carinho,
deixaste-me um travo a água salgada
neste peito em vaivém de dor
tornando a minha vida uma madrugada.

Hoje, vago entre a bonança
em busca de estrelas,
numa completa cessação de ventos,
como sol e lua na busca de sonhos teus.

Este é um poema acabado
que me faz beijar a tua boca
e percorrer linhas de um teu céu
num perpétuo beijo de poesia.

( © António Carlos Santos )

22-25-35-depositphotos_263353724-stock-photo-unrec

 

1 comentário

Comentar post