Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TERAPIA DAS PALAVRAS...

Viver é aceitar que cada minuto é um milagre que não poderá ser repetido..!

TERAPIA DAS PALAVRAS...

Viver é aceitar que cada minuto é um milagre que não poderá ser repetido..!

Ainda te necessito!!!

Calimero, 22.04.21

"Ainda não estou preparado para perder-te
Não estou preparado para que me deixes só.

Ainda não estou preparado pra crescer
e aceitar que é natural,
para reconhecer que tudo
tem um princípio e tem um final.

Ainda não estou preparado para não te ter
e apenas te recordar
Ainda não estou preparado para não poder te olhar
ou não poder te falar.

Não estou preparado para que não me abraces
e para não poder te abraçar.

Ainda te necessito.

E ainda não estou preparado para caminhar
por este mundo perguntando-me: Por quê?

Não estou preparado hoje nem nunca o estarei.

Ainda te Necessito."

 

Pablo Neruda

 

OIP[2].jpg

 

Fragmentos de poesia!!

Calimero, 20.04.21

Ontem enviaram-me varios excertos de poesia!

Quem bem me conhece, sabe deste meu lado que me alimenta a alma!

Deixo aqui este para ficar guardado aqui na minha caixinha de Pandora como gosto de lhe chamar!

"Regresso devagar ao teu sorriso com quem volta a casa.

Faço de conta que não é nada comigo.

Distraído percorro o caminho familiar da saudade, pequeninas coisas que me prendem, uma tarde num café, um livro.

Devagar te amo e às vezes depressa, meu amor, e às vezes faço coisas que não devo,

regresso devagar a tua casa, compro um livro,

entro no amor com em casa!"

 

 

Aguardo-te!

Calimero, 19.04.21

Quando recuamos, 

como o sol recua atrás dos montes distantes
não te sei perder.
é uma conclusão simples mas simples são
também os processos naturais: a chuva que cai
a flor que cresce.
e por vezes é preciso recuar
e alcançar o abrigo
como o pastor alcança o rebanho no meio da serra.
é preciso aguardar a noite e clarificar o dia.
porque a clarividência é um dom
como os regatos que serpenteiam a terra
o são para
os pequenos seres que os rodeiam.
e eu guardo-te e aguardo-te
como o sol se aguarda nas leves planícies
quando a noite se põe.
 
André Tomé
 

OIP[9].jpg

 

Colhe as flores...!!!

Calimero, 16.04.21

Trago-te o perfume das flores e a lembrança das palavras.

Os teus olhos continuam meus, como da primeira vez em que sonhámos que o mundo nos iria ver chegar ao romper daquela madrugada de primavera.

As pétalas foram sempre tuas, sabes? Como o meu coração passou a ser, quando me abraçaste junto ao mar.

Mais logo, quando o dia acabar e o sol desaparecer, aproxima-te das flores.

Se fechares os olhos, o seu perfume vai trazer-te a lembrança do som das ondas e da brisa que sussurrava enquanto caminhávamos descalços na areia que era só nossa.
 
Antes de adormeceres, terás a certeza de que te amarei para sempre.
 
 
(Jose Rodrigues)
 

OIP0FNWC41P.jpg

 

 
 

Talvez não saibas...!

Calimero, 15.04.21

Talvez não saibas

Mas dormes nos meus dedos

De onde fazem ninhos as andorinhas

E crescem frutos ruivos e há segredos

Das mais pequenas coisas que são minhas

Talvez tu não conheças, mas existe

Um bosque de folhagem permanente

Aonde não te encontro e fico triste

Mas só de te buscar fico contente

Ao meu amor quem sabe se tu sabes Sequer,

se em ti existe, ou só demora

Ou são como as palavras essas aves

Que cantam o teu nome e a toda a hora

Talvez não saibas, mas digo que te amo

A construir o mar em nossa casa

Que é por ti que pergunto e por ti chamo

Se a noite estende em mim a sua asa

Talvez não compreendas, mas o vento

Anda a espalhar em ti os meus recados

E que há por do sol no pensamento

Quando os dias são azuis e perfumados

Oh meu amor quem sabe se tu sabes Sequer,

se em ti existe, ou só demora

Ou são como as palavras essas aves

Que cantam o teu nome e a toda a hora

Joaquim Pessoa

 

OIPUU33MDF4.jpg

 

Tomara...!!!

Calimero, 12.04.21

Tomara

 
Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz
E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz
 
E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais...
 
Vinicius de Moraes
 

OIP[2].jpg