Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TERAPIA DAS PALAVRAS...

Viver é aceitar que cada minuto é um milagre que não poderá ser repetido..!

TERAPIA DAS PALAVRAS...

Viver é aceitar que cada minuto é um milagre que não poderá ser repetido..!

A proposito!...

Calimero, 20.11.20

A propósito do meu amor por ti, desenhei infinitamente o teu nome pelas areias da praia molhada e chorei num pranto descontrolado no melancólico contar das ondas salgadas.

Foi naquela manhã esquecida no tempo, que fustigado no rosto pelo sal castigador do mar em fúria, que eu descobri que a missão das marés salgadas é tão simples como perpetuar a saudade que eu tenho de ti.

Pela areia despida, as minhas pegadas caminhavam sós, vazias, num lento movimento triste e deambulante.

Era apenas eu, o mar, alguns rochedos pasmados e um bando de gaivotas atrevidas naquela manhã esquecida na praia.
 
No pensamento, um breve e assustador encontro com a realidade obtusa da minha vida, longe do nosso amor das palavras bonitas e dos abraços demorados, e um vazio tomou conta de mim.
 
Um arrepio gélido trespassou-me a espinha, circulou lentamente por cada uma das minhas veias, para por fim ferir de morte o meu desamparado coração.
 
Derramei compulsivamente as minhas lágrimas de sal.
 
Deixei-as livres. Deixei que me lavassem o rosto, que me purificassem a alma...
 
Mil marés já passaram desde aquela manhã de nortada perdida na praia, em que a propósito do meu amor por ti, eu desci ao fundo da solidão.
 
O meu vazio continua latente. 
 
O meu coração permanece angustiado.
 
As minhas lágrimas entretanto deixaram de cair. 
como é assustador já não conseguir chorar.
 
 
#orapazdoamor
 

OIP[5].jpg

 

Perfume das flores..,

Calimero, 18.11.20

Trago-te o perfume das flores e a lembrança das palavras. Os teus olhos continuam meus, como da primeira vez em que sonhámos que o mundo nos iria ver chegar ao romper daquela madrugada de primavera. As pétalas foram sempre tuas, sabes? Como o meu coração passou a ser, quando me abraçaste junto ao mar.
Mais logo, quando o dia acabar e o sol desaparecer, aproxima-te das flores. Se fechares os olhos, o seu perfume vai trazer-te a lembrança do som das ondas e da brisa que sussurrava enquanto caminhávamos descalços na areia que era só nossa. Antes de adormeceres, terás a certeza de que te amarei para sempre.♥️


.joserodrigues.

82478eef76b5d115a60579212d7bce3d.jpg

 

LXXXIV

Calimero, 12.11.20

Falta-me qualquer coisa que não sei,

Talvez uma vaga...uma manhã...um sol a aquecer-me o olhar!

Falta-me uma arvore onde possa descobrir as raizes dos dias

Posso dizer que vi já muita coisa...e que muita coisa foi demais para a minha vista

Já vi em cada recanto do mar...uma doçura e um fastio de algas azuis

Já sei que em toda a parte se sentam nas palavras...e depois calam-se,

Contemplando o rasar da luz pela tarde

Esquecendo-se do que esta por detras do parapeito das janelas!

Mas também quem quer saber o que está por detras das janelas?!

Quem se importa com cortinas de chita que tapam a luz que sai das casas?

Quando um dia ..o poente acordar na cama serena do mar

Entao já não será poente...será um outro tempo..a acenar...

 E o poeta terá toda a vida...para entardecer!!!

Casimiro Mestre

https://folhasdeluar.blogs.sapo.pt/

entd.jpeg

(Foto JA)

 

Tristeza!

Calimero, 11.11.20

Deve chamar-se tristeza

Isto que não sei que seja

Que me inquieta sem surpresa

Saudade que não deseja.

Sim, tristeza -

mas aquela Que nasce de conhecer

Que ao longe está uma estrela

E ao perto está não a Ter.

Seja o que for, é o que tenho.

Tudo mais é tudo só.

E eu deixo ir o pó que apanho

De entre as mãos ricas de pó.

 

Fernando Pessoa

 

BloII.jpg

 

Quantos anos tenho?!!

Calimero, 10.11.20

Quantos anos tenho?

Tenho a idade em que as coisas são vistas com mais calma, mas com o interesse de seguir crescendo.
 
Tenho os anos em que os sonhos começam a acariciar com os dedos e as ilusões se convertem em esperança.
 
Tenho os anos em que o amor, às vezes, é uma chama intensa, ansiosa por consumir-se no fogo de uma paixão desejada.
 
E outras vezes é uma ressaca de paz, como o entardecer em uma praia.
 
Quantos anos tenho?
 
Não preciso de um número para marcar, pois meus anseios alcançados, as lágrimas que derramei pelo caminho ao ver minhas ilusões despedaçadas…
 
Valem muito mais que isso
 
O que importa se faço vinte, quarenta ou sessenta?!
 
O que importa é a idade que sinto.
 
Tenho os anos que necessito para viver livre e sem medos.
 
Para seguir sem temor pela trilha, pois levo comigo a experiência adquirida e a força de meus anseios.
 
Quantos anos tenho? Isso a quem importa?
 
Tenho os anos necessários para perder o medo e fazer o que quero e o que sinto.
 
José Saramago
 

OIP[3].jpg

 

Amor!

Calimero, 09.11.20

Que luz
acendem teus olhos
no profundo e silencioso mar
dos meus olhos

Que serenidade vens entregar
à mansidão das minhas águas
que ninguém ousou tocar ou
contemplar

Que suavidade
brilho ou lua
me pousa na alma

com tanto amor

António Cardoso Pinto

 

OIPZWGW8BKT.jpg

A tua cor de Jasmim

Calimero, 06.11.20

Venho do teu cheiro a jasmim, a mel dos teus olhos, a romã de teus lábios, de um verde onde o sol já se esbateu, preparo-me para transpor a linha do horizonte, por isso deixarás de me ver, mas dentro de mim não se fechará nunca este círculo que nos uniu.

O medo que tive, impediu-me de viver o único Amor que tive.

Lutamos por um amor irracional, contraditório, tanto amor e ressentimentos, tanto amor e raiva, tanto amor e frustração, tanto amor e desespero, tanto amor e medo de sofrer por tanto amor.

O teu sangue corre junto do meu e regará sempre meu coração..

JA

FB_IMG_1604658414203.jpg

 

Tempo!

Calimero, 05.11.20

Soletro nos silêncios do tempo

o respirar das areias

e o mar dos teus braços.

Desfio em palavras

o que me borda o olhar.

Assim… és manto e poema

na pele de linho

que me veste a alma.

(Antonio Carlos Santos)

sunrise-205793_640[1].jpg

(Foto retirada net)