Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TERAPIA DAS PALAVRAS...

Viver é aceitar que cada minuto é um milagre que não poderá ser repetido..!

TERAPIA DAS PALAVRAS...

Viver é aceitar que cada minuto é um milagre que não poderá ser repetido..!

Medo!

Calimero, 29.01.14

Ouve o grande silêncio destas horas!

Há quanto tempo não dizemos nada...

Tens no sorriso uma expressão magoada, tens lágrimas nos olhos, e não choras!

As tuas mãos nas minhas mãos demoras numa eloquência muda, apaixonada...

Se o meu sombrio olhar de amargurada procura o teu, sucumbes e descoras...

O momento mais triste de uma vida é o momento fatal da despedida,

Vê como o medo cresce em mim, latente...

Que assustadora, enorme sombra escura!

Eis afinal, amor, toda a tortura: - vejo-te ainda, e já te sinto ausente!

Virgínia Vitorino

 

(imagem retirada da net)

 

Minha Estrela da tarde..

Calimero, 15.01.14

15.01.2014

 

Esta letra e a minha prenda para ti.!!!

 

"Era a tarde mais longa de todas as tardes

Que me acontecia

Eu esperava por ti, tu não vinhas

Tardavas e eu entardecia

Era tarde, tão tarde, que a boca,

Tardando-lhe o beijo, mordia

Quando à boca da noite surgiste

Na tarde tal rosa tardia

 

Quando nós nos olhamos tardamos no beijo

Que a boca pedia

E na tarde ficamos unidos ardendo na luz

Que morria Em nós dois nessa tarde em que tanto

Tardaste o sol amanhecia

Era tarde demais para haver outra noite,

Para haver outro dia.

 

Meu amor, meu amor Minha estrela da tarde

Que o luar te amanheça e o meu corpo te guarde.

Meu amor, meu amor

Eu não tenho a certeza

Se tu és a alegria ou se és a tristeza.

Meu amor, meu amor

Eu não tenho a certeza.

 

Foi a noite mais bela de todas as noites
Que me aconteceram
Dos noturnos silêncios que à noite
De aromas e beijos se encheram
Foi a noite em que os nossos dois
Corpos cansados não adormeceram
E da estrada mais linda da noite uma festa de fogo fizeram.

Foram noites e noites que numa só noite
Nos aconteceram
Era o dia da noite de todas as noites
Que nos precederam
Era a noite mais clara daqueles
Que à noite amando se deram
E entre os braços da noite de tanto
Se amarem, vivendo morreram.

Eu não sei, meu amor, se o que digo

É ternura, se é riso, se é pranto

É por ti que adormeço e acordo

E acordado recordo no canto

Essa tarde em que tarde surgiste

Dum triste e profundo recanto

Essa noite em que cedo nasceste despida

De mágoa e de espanto.

Meu amor, nunca é tarde nem cedo
Para quem se quer tanto!

 

(Jose Carlos Ary dos Santos)

A Demora..!

Calimero, 09.01.14

O amor nos condena:
demoras
mesmo quando chegas antes.
Porque não é no tempo que eu te espero.

Espero-te antes de haver vida
e és tu quem faz nascer os dias.

Quando chegas
já não sou senão saudade
e as flores
tombam-me dos braços
para dar cor ao chão em que te ergues.

Perdido o lugar
em que te aguardo,
só me resta água no lábio
para aplacar a tua sede.

Envelhecida a palavra,
tomo a lua por minha boca
e a noite, já sem voz
se vai despindo em ti.

O teu vestido tomba
e é uma nuvem.
O teu corpo se deita no meu,
um rio se vai aguando até ser mar.


[Mia Couto]