Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TERAPIA DAS PALAVRAS...

Viver é aceitar que cada minuto é um milagre que não poderá ser repetido..!

TERAPIA DAS PALAVRAS...

Viver é aceitar que cada minuto é um milagre que não poderá ser repetido..!

Eu gosto de gente...

Calimero, 30.05.13
"Eu gosto de gente. E gente é tudo diferente.
Gosto de gente contente, de gente que anda pra frente, de gente que acontece na vida por acidente, de repente.
Gos...to de gente que planta semente, gente que é elo na corrente, de gente que é confidente e fonte de amor crescente.
Gosto de gente que abre a mente, de gente sempre presente, de gente que é sol nascente, de gente que pensa transparente, de gente que tem brilho de estrela cadente, mas não cai - olha que surpreendente.
Eu gosto de gente que precisa de espaço e que cabe dentro de mim mesmo assim.
Eu gosto de gente que é laço, que pisa o meu passo, que é abraço quando me falta um pedaço, mesmo nos mais duros dias de cansaço.
 Gosto de gente que não escolhe, e sim acolhe. E envolve, absorve, comove. De gente que é parceria na hora da alegria, estende a mão nos momentos de solidão e tem sempre uma palavra de clareza e riqueza nos dias de tristeza.
Eu gosto de gente que não se guarda: se entrega, navega.
 De gente que se chega, se aconchega. De gente que aceita, de gente que enfeita.
 Eu gosto de gente que comigo se ajeita.
Eu gosto de gente onde eu posso caber. De gente de peito aberto, sorriso esperto, coração liberto.
Gente pra mim não tem muros: é casa espaçosa, com jardim de grama verdinha, borboleta batendo asa e cachorro fazendo festa no quintal.
Gente pra mim é luz acesa, é porta sem tranca, é janela com vista pro mar.
Bom mesmo é encontrar gente em quem a gente possa fazer um lar. E morar."
Verônica Fantoni
 
"Eu gosto de gente. E gente é tudo diferente. Gosto de gente contente, de gente que anda pra frente, de gente que acontece na vida por acidente, de repente. Gosto de gente que planta semente, gente que é elo na corrente, de gente que é confidente e fonte de amor crescente. Gosto de gente que abre a mente, de gente sempre presente, de gente que é sol nascente, de gente que pensa transparente, de gente que tem brilho de estrela cadente, mas não cai - olha que surpreendente.Eu gosto de gente que precisa de espaço e que cabe dentro de mim mesmo assim. Eu gosto de gente que é laço, que pisa o meu passo, que é abraço quando me falta um pedaço, mesmo nos mais duros dias de cansaço. Gosto de gente que não escolhe, e sim acolhe. E envolve, absorve, comove. De gente que é parceria na hora da alegria, estende a mão nos momentos de solidão e tem sempre uma palavra de clareza e riqueza nos dias de tristeza. Eu gosto de gente que não se guarda: se entrega, navega. De gente que se chega, se aconchega. De gente que aceita, de gente que enfeita. Eu gosto de gente que comigo se ajeita.Eu gosto de gente onde eu posso caber. De gente de peito aberto, sorriso esperto, coração liberto. Gente pra mim não tem muros: é casa espaçosa, com jardim de grama verdinha, borboleta batendo asa e cachorro fazendo festa no quintal. Gente pra mim é luz acesa, é porta sem tranca, é janela com vista pro mar. Bom mesmo é encontrar gente em quem a gente possa fazer um lar. E morar."Verônica Fantoni

Nos meus olhos....

Calimero, 30.05.13
 
Nos meus olhos…
"E nos meus olhos existem segredos, mistérios. Existem abrigos, moradas e solidão.
Existe calor para os que me buscam, mas também frio para os que me perdem.
E nos meus olhos existem histórias, sonhos e fantasias. Memórias, lembranças e amores. E nos meus olhos existem chegadas e despedidas.
Existe brisa e forte ventania. E nos meus olhos existe um arco-íris do que sou, de onde vim e um espaço grande a ser pintado por onde ainda estarei.
E nos meus olhos cabe mais, cabem mil coisas... Mil faces de mim que poucos conseguem ver.
Poucos conseguem sentir. Mas...que existe... Nos meus olhos, nos meus segredos, nas minhas estradas".

Mozart

Sabes??? Gosto muito de ti!....

Calimero, 29.05.13

Quem te disse ao ouvido esse segredo
Que raras deusas têm escutado —
Aquele amor cheio de crença e medo
Que é verdadeiro só se é segredado?...
Quem te disse tão cedo?

Não fui eu, que te não ousei dizê-lo.
Não foi um outro, porque não sabia.
Mas quem roçou da testa teu cabelo
E te disse ao ouvido o que sentia?
Seria alguém, seria?

Ou foi só que o sonhaste e eu te o sonhei?
Foi só qualquer ciúme meu de ti
Que o supôs dito, porque o não direi,
Que o supôs feito, porque o só fingi
Em sonhos que nem sei?

Seja o que for, quem foi que levemente,
A teu ouvido vagamente atento,
Te falou desse amor em mim presente
Mas que não passa do meu pensamento
Que anseia e que não sente?"

 
Fernando Pessoa
 
 

Na minha margem

Calimero, 29.05.13

 

Anda…
Deita-te na minha margem
de areias movediças de sonhos…
Não te quero com a noite no olhar…
Nem com  segredos que não me possas contar
Anda…
Não faças esperar a minha impaciência disfarçada de magoas…
Não me faças pronunciar palavras desnecessárias…
Nem deixes que se feche esta porta onde bates…
D e v a g a r……
Agita-se em nós o entardecer..
E cansado,
Deitas-te na minha margem ardente
E é por isso, só por isso que te digo
Que esta noite o meu sorriso
Vai dormir contigo!!!
 
A.Luz
 

Memorias...

Calimero, 29.05.13

 

•Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho.
Que momentos há em que suponho
... Seres um milagre criado só para mim.


[Sophia de Mello Breyner]
 
 
 
 
 
 
 

 

Retrato...

Calimero, 24.05.13

 

Sentas-te dispersa, longe do mundo onde vives e pousas para mim, só para mim, porque só eu te consigo ver como tu realmente és. Tenho dificuldade em te desenhar porque apesar de estares na ponta do meu lápis, tal como estás dentro do meu coração, e de aparentares serenidade, estás inquieta…ausente. Contudo, consertas o cabelo, já que o teu coração não tem conserto e a tua alma não te pertence, humedeces os lábios num jeito sensual e ao mesmo tempo tão natural e colas os teus olhos nos meus olhos para te tentares ver dentro deles como se eu fosse o teu espelho. E não serei?
Depois, sorris-me com esse sorriso angelical e diabólico, que te fica a matar e perguntas-me se estás bem assim.
Fico em silêncio a olhar-te e a procurar o teu melhor ângulo enquanto me piscas o olho, descarada, quase infantil…
Tenho dificuldade em me concentrar porque não é todos os dias que te tenho assim tão inteira, tão presente. Mas inconstante, sempre inconstante, leva...ntas-te e dizes que não queres que te pinte. Que queres apenas que o teu rosto fique gravado na minha memória e só para mim.
Entristeces. Entristeço contigo.
Baixas os olhos como se te procurasses e não te encontrasses. Estendo-te a minha mão em teu auxílio, para que saibas que nunca estás sozinha. Para que percebas que apesar do segredo que nos une e que todos os dias nos separa mais um bocadinho, eu estou aqui, por ti e para ti(...)

A.Luz
 
Sentas-te dispersa, longe do mundo onde vives e pousas para mim, só para mim, porque só eu te consigo ver como tu realmente és. Tenho dificuldade em te desenhar porque apesar de estares na ponta do meu lápis, tal como estás dentro do meu coração, e de aparentares serenidade, estás inquieta…ausente. Contudo, consertas o cabelo, já que o teu coração não tem conserto e a tua alma não te pertence, humedeces os lábios num jeito sensual e ao mesmo tempo tão natural e colas os teus olhos nos meus olhos para te tentares ver dentro deles como se eu fosse o teu espelho. E não serei? Depois, sorris-me com esse sorriso angelical e diabólico, que te fica a matar e perguntas-me se estás bem assim. Fico em silêncio a olhar-te e a procurar o teu melhor ângulo enquanto me piscas o olho, descarada, quase infantil… Tenho dificuldade em me concentrar porque não é todos os dias que te tenho assim tão inteira, tão presente. Mas inconstante, sempre inconstante, levantas-te e dizes que não queres que te pinte. Que queres apenas que o teu rosto fique gravado na minha memória e só para mim. Entristeces. Entristeço contigo. Baixas os olhos como se te procurasses e não te encontrasses. Estendo-te a minha mão em teu auxílio, para que saibas que nunca estás sozinha. Para que percebas que apesar do segredo que nos une e que todos os dias nos separa mais um bocadinho, eu estou aqui, por ti e para ti(...)A. Luz

Pergunta-me..

Calimero, 23.05.13

 

Pergunta-me
se ainda és o meu fogo
se acendes ainda
o minuto de cinza
se despertas
... a ave magoada
que se queda
na árvore do meu sangue

Pergunta-me
se o vento não traz nada
se o vento tudo arrasta
se na quietude do lago
repousaram a fúria
e o tropel de mil cavalos

Pergunta-me
se te voltei a encontrar
de todas as vezes que me detive
junto das pontes enevoadas
e se eras tu
quem eu via
na infinita dispersão do meu ser
se eras tu
que reunias pedaços do meu poema
reconstruindo
a folha rasgada
na minha mão descrente

Qualquer coisa
pergunta-me qualquer coisa
uma tolice
um mistério indecifrável
simplesmente
para que eu saiba
que queres ainda saber
para que mesmo sem te responder
saibas o que te quero dizer

Mia Couto

Pergunta-mese ainda és o meu fogose acendes aindao minuto de cinzase despertasa ave magoadaque se quedana árvore do meu sanguePergunta-mese o vento não traz nadase o vento tudo arrastase na quietude do lagorepousaram a fúriae o tropel de mil cavalosPergunta-mese te voltei a encontrarde todas as vezes que me detivejunto das pontes enevoadase se eras tuquem eu viana infinita dispersão do meu serse eras tuque reunias pedaços do meu poemareconstruindoa folha rasgadana minha mão descrenteQualquer coisapergunta-me qualquer coisauma toliceum mistério indecifrávelsimplesmentepara que eu saibaque queres ainda saberpara que mesmo sem te respondersaibas o que te quero dizer Mia Couto @[462489187097501:274:Fábrica de Escrita](imagem: Oleg Obukhov)

Um pedaço de Céu

Calimero, 17.05.13

Tu, a que eu amo nesta manhã
que trouxe a tua imagem com os ruídos
da rua, vai até à janela,
levanta as persianas do quarto, e olha
o céu como se ele fosse
um espelho. Diz-me, então,
o que vês? As nuvens que passam
pelos teus olhos? Um azul cuja
sombra te desenha o contorno
das pálpebras? A mancha rosa do nascente
que o horizonte roubou ao
teu rosto? Mas não te demores. Um espelho
não se pode olhar muito tempo e
o céu da manhã é dos que mudam com
as variações da alma. Pode ser que o céu
roube um sorriso aos teus lábios e
mo traga, para que eu o ponha neste poema,
onde te vejo, um instante, enquanto
a manhã não acaba.

 
Nuno Judice
 
 

 

Faltas-me...!!!

Calimero, 16.05.13

Faltas-me.

Se aqui estivesses isto não seriam palavras.

Um trinco por dentro, essa ilusão de voltar a ti olhando os papéis, desconheço o que de mim resta quando as horas quase trazem o silêncio e a boca se abre, faz a passagem do teu corpo ...a um corpo que aproveita a substituição que não sabe.

Mudaremos o tempo para nenhuma exigência, faltas-me quando estás a caminho, já oiço os teus passos subindo no fundo da escada.

Amanhece.

Nos sonhos que não sou capaz de lembrar vens tocar-me nos ombros e dizer ainda não são horas, ainda não é alba.

As palavras faltam-me, vou calar-me nas duas voltas da chave, este papel apagado, sujo da ausência dos teus gestos.

 

 

Hélder Moura Pereira

 

in De novo as sombras e as calmas

 

Solidao...

Calimero, 15.05.13
Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... Isto é carência.
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de... entes queridos que não podem mais voltar... Isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio.
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida. .. Isto é um princípio da natureza.
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância.
Solidão é muito mais do que isto.
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma....

Francisco Buarque de Holanda
Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... Isto é carência.Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... Isto é saudade.Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio.Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida. .. Isto é um princípio da natureza.Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância.Solidão é muito mais do que isto.Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma....Francisco Buarque de Holanda